sábado, 7 de julho de 2007

Nota Pessoal 05 - Já não há Herois?


Este meu projecto de construir uma casa tem sido bafejado pela sorte desde o início. Grande parte dessa sorte tem sido produzida pela equipa de arquitectura, e foi através do Francisco, após consultas a dezenas de empresas, que conheci e contratei a Socofirma, mais conhecidos pelos Faria, visto os responsáveis pela firma, o Filipe e o Paulo, serem irmãos. Juntos com o Artur, trabalhador da firma há já muitos anos, foram estes três pares de braços que deram forma segura ao projecto e ser-lhes-ei eternamente agradecido pela forma como o fizeram.
Sedeados em Ourém, durante dois meses levantaram-se às 5 e tal da manhã para se fazerem a uma hora e meia de estrada e estarem - e estavam sempre - às 8h na obra. Trabalhavam então o dia todo e abalavam sempre perto das 20h, ocasionalmente ainda mais tarde, para fazerem mais hora e meia de caminho de regresso. Eu estaria de rastos e impossível de aturar ao fim de 3 dias (e estou a ser generoso). Mas a eles o profissionalismo falou sempre mais alto.
Brio, brio, onde em Portugal se encontra brio? É tão difícil. Mas o brio injectado na construção desta minha casa deixa-me sem palavras. Do vibrar do betão ao refazer de pequenas secções de muro de pedra, tudo foi feito com dedicação e vontade de fazer o melhor possível. Suportaram o cansaço e a distância sempre com um sorriso. O ambiente na obra foi sempre saudável, bem disposto.
O meu erro? Se soubesse então o que sei hoje... O meu erro foi não os contratar para fazer a casa toda do princípio ao fim! Mas quando os contratámos o tempo que tinham disponível era já limitado e os trabalhos de madeira já estavam entregues. Enfim, vários pequenos pormenores fizeram com que não estivesse prevista a sua estadia no projecto até ao fim.
Os trabalhos a que se propuseram estão praticamente terminados. E que bem terminados! Já muito em cima da hora fiz uma tentativa que continuassem mas as suas obrigações profissionais não lhes permitem, com pena deles também, arrisco. Simplesmente não estava previsto e já têm outros serviços em espera.
Agora olho para trás e tenho pena de nas minhas visitas não os ter acarinhado mais, levado umas merendas, uma bebidas. Não o fiz por não saber se os incomodava, querer sempre deixá-los trabalhar à vontade, sem 'pressões'. E por desleixo meu.
Mas quando se depara com esta qualidade de carácter e trabalho é preciso apoiá-lo, encorajá-lo, valorizá-lo. Reconhecê-lo. Espero tê-lo indo feito de algum modo.

Artur, Filipe e Paulo, muito, muitíssimo obrigado por tudo. A segurança que sempre senti por vos ter a trabalhar na obra e a solidez e beleza do trabalho que deixam terá sempre o meu reconhecimento.

No final das obras voltarão para um dia de trabalho, para colocar a betonilha no interior. Será um regresso desejado. O regresso dos 'Herois'.

5 comentários:

Quico (Francisco Freire) disse...

(com um brilhozinho nos olhos) Tenho obrigação em dizer algo.
Conheço os Faria, e o trabalho deles, há muito tempo. Desde a tenra idade dos idos anos 80 que trabalham na construção, seguindo os passos da família – e desses tempos de outrora. A ética laboral com que encaram a vida não sei onde a aprenderam mas é uma autêntica lição. Todas as tarefas com que se deparam, da cofragem mais complexa ao simples aparafusar de um parafuso, são executadas sob o melhor dos lemas: O MELHOR QUE CONSEGUEM! E fazem-no sem aspirar qualquer compensação, é-lhes intrínseco. Talvez procurem que o reconhecimento venha ‘das estrelas’ – ou publicado em posts de blogues.

Jota disse...

Atrevo-me a dizer que, pelo pouco que conheço e pelo que tenho "ouvido dizer", o melhor reconhecimento que os Farias podem receber é ao olharem para o que fizeram e verem-no bem feito, verem-no o "melhor possível", sabendo que a outros olhos o mesmo preceito será sentido.
Parece-me haverá poucas pessoas com este brio (profissional e de Ser) mas é bom que se encontrem para fazer casas!

raquel disse...

Os srs. Faria já viram o blogue?...

Rui Pedro Lérias disse...

Olá Raquel, já, já viram. Não sei há quanto tempo não voltam, mas sabemos que já consultaram. Espero que continuem a fazê-lo. Mais tarde peço ao Francisco que se certifique disso!

raquel disse...

Não sei se é por estar com fome e ainda não ter jantado, mas cheira-me que esta obra ainda vai dar origem a uma grande jantarada no final com bloguers, carpinteiros, mirones e arquitectos...

:P