sexta-feira, 20 de julho de 2007

41 – HOMELAND - Plano B na Bienal de Cerveira 2007


Em paralelo à obra de Arruda, o Plano B foi convidado a participar na exposição “Arquitectura à Margem” que decorrerá a partir de dia 18 de Agosto na Bienal de Artes de Vila Nova de Cerveira.

A intervenção do Plano B será a construção, em Taipa, de uma “Ilha da Arquitectura” a que chamámos “Homeland”. A compactação da terra começará no dia 21 de Julho e deverá prolongar-se até 5 de Agosto.

O Plano B gostaria de abrir esta obra à participação de quem tenha interesse e disponibilidade. Convidamos assim quem gostasse de experimentar (ou aperfeiçoar) a construção em Taipa, para que se junte a nós durante algum (ou vários) dos dias no referido prazo.

Quem queira participar confirme, por favor, para o email do Plano B (info@planob.com) em que datas teria disponibilidade por forma a podermos coordenar a obra. Ou simplesmente apareça na Casa do Artesão (antigo mercado do peixe) no centro histórico de Vila Nova de Cerveira.

Para acompanhar o desenvolvimento da obra, e depois da exposição, lançamos hoje um novo blog: http://planob-cerveira.blogspot.com/

12 comentários:

Rui Pedro Lérias disse...

Boa sorte e bom trabalho, pessoal. A ver se ficam famosos para a minha casa valer uma pipa de massa. ;-)

Sugeria que explicassem bem onde é Vila Nova da Cerveira, como se chega lá, quanto tempo se demora, para se poder calcular possíveis participações.

Força nisso.

Anónimo disse...

Como !? Quem não conhece Cerveira ? Na ponta noroeste de Portugal, não ha que saber !
Agora a sério, gostava de aparecer para ver essa famosa taipa. E para dar uma mãozinha...
(Eduardo, chego a Portugal dia 27 de Julho)
Stanko

Rui Pedro Lérias disse...

Se fosse Carne Assada ou Godigana, aqui perto de Lisboa, conhecia bem...
:-)

Jota disse...

...ou Pipa, ou Adega, ou Paiol, ou Casal da Pevide. (nós os Portugueses somos uns poetas!)

Bom esforço ao Plano B - lá em Cerveira.
Boa sorte ao cliente - cá na Arruda, tão destemido da concorrência que até já faz contas à fama da sua quase-casa.

raquel disse...

Ainda que já não visite Vila Nova de Cerveira há algum tempo, presumo que continue bonita: pequenina, bem conservada e muito verde, ou não estivessemos na região verde... A Bienal fazia-se junto ao rio Minho e daí avistavam-se as Ilhas dos Amores... Talvez por isso (também) lhe chamem «à margem» e «ilha»?... Agora muito perto há também uma ponte que nos liga à Galiza... Mas, em vez de a atravessarem, para vos dar energia, não deixem de passar em Viana do Castelo e, entre a Praça da República e a Avenida, procurem o Manuel (não o Zé) Natário e as suas bolas de berlim inesquecíveis! Ao fundo da Avenida (o nome não é importante porque é como se só houvesse uma), junto ao Lima, estão a construir (acabaram?) a biblioteca municipal, salvo erro da autoria do Siza... Em Agosto espero poder visitar a vossa construção. Bom trabalho e boa sorte para os negócios:o Minho tem gente com muito dinheiro... :P

(Não percebo bem é por que a figura de um soldado está no cartaz...).

raquel disse...

Errata: onde está «região verde» leia-se «costa verde».

eduardo carvalho disse...

Raquel, devo eu dar a resposta sobre o soldado... Alguma vez entraste num país, inclusivé o próprio país (daí o nome "Homeland"), sem passares umas 5 vezes por barreiras e controles. Ou sem seres revistada, inquirida e uma ou outra vez mal-tratada?

raquel disse...

Será essa seja uma pergunta de retórica? Ou seja, não carece de resposta...? ;)

OK, OK... Talvez eu ande com a cabeça noutro sítio... Ainda assim, desculpem lá a franqueza, mas parece-me... demasiado forte.

eduardo carvalho disse...

Então uma resposta sem pontos de interrogação ... o soldado está lá porque também está onde era suposto não estar :)
Chamemos-lhe um enigma!

eduardo carvalho disse...

... ainda na sequência, desculpem esta insistência ... Já não passava pelo site do OMA (Office for Metropolitan Architecture - os que desenharama a Casa da Música no Porto) há uns tempos e eis que surge, na página principal, mais uma imagem/resposta/enigma ... http://www.oma.eu

eduardo carvalho disse...

ups... mudaram a imagem! Antes tinha a foto de três polícia do corpo de intervenção num cenário urbano.
Ok, a questão é que a violência está em todo o lado e os focos de paz e beleza só parecem resistir como ilhas no interior dessa violência (seja o corpo de intervenção da polícia, as leis da constituição ou câmaras de vídeo).
E prometo não falar mais disto...

Rui Pedro Lérias disse...

Não prometas, não prometas!
Eu sou objector de consciência ao serviço militar mas não tive problema em ver a imagem do militar. Não gostei, mas a realidade é cada vez mais esta, cada vez maior controlo das populações e restrições das suas liberdades. E isso tem de ser mostrado, mesmo que eu perceba o quão desagradável é!