quarta-feira, 16 de maio de 2007

Nota Pessoal 03 - Formiguinha, formiguinha...

Qual é um dos principais receios de alguém que constrói uma casa em madeira?! Vê-la comida por térmitas...

Pois é, o Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) ainda não tinha incluído o Concelho da Arruda no seu mapa de distribuição de térmitas em Portugal mas elas aqui estão, a 10 metros da futura instalação da casa.
Formiga branca, alguém lhes chama, mas são mais baratas que formigas (literalmente; em termos evolutivos estão muito próximas das também adoradas baratas domésticas).
Alguém me sabe dizer exactamente que espécie é esta?
Resta-nos defender a casa com boas práticas de construção: madeira sem estar em contacto com o solo; lage de betão contínua e sem fendas; ausência de madeira morta na área em redor da casa.
E, já agora, alguém sabe se em Portugal também existem térmitas da madeira seca, que fazem o ninho dentro da madeira?
E se alguém me conseguir garantir que as térmitas subterrâneas não atacam madeira de eucalipto em boas condições (seca) ficaria bastante feliz.
Note-se no entanto que nada fiz para eliminar a colónia detectada... Se calhar devia? E métodos?

5 comentários:

Patrícia Bruno disse...

Aconselho que contactem a Engª Helena Cruz, do LNEC. É a pessoa mais indicada para o esclarecimento dessas dúvidas.
Continuação de bom trabalho!
Patrícia

Rui Pedro Lérias disse...

Cara Patrícia,
obrigado pela informação! Já tinha espreitado um estudo da Engª helena Cruz mas agora vou-me encher de coragem e contactá-la.
Rui Pedro

raquel disse...

A dica da Patrícia parece pertinente. Boa sorte! A única coisa que me ocorreu é que talvez uma organização ecologista, como a Quercus, possa dar pistas...

Lina Nunes disse...

Reticulitermes grassei

Nobre, T.; Nunes, L; Eggleton, P; Bignell, D E. Distribution and genetic variation of Reticulitermes (Isoptera: Rhinotermitidae) in Portugal. Heredity 96(5): 403-409.

ver tb
Nunes, L; Nobre, T. 2006. Presença de térmitas na madeira aplicada na construção. Pedra e Cal 29: 10-12.

Lina Nunes disse...

Quanto às térmitas de madeira seca, no continente temos um espécie, Kalotermes flavicollis.

Aparece nas construções mas não é muito comum.