domingo, 23 de dezembro de 2007

72 - INTERIOR

72 - The interior


A casa não ficou propriamente habitável para o período das festas. Faltam ainda alguns pormenores mas, sobretudo, faltam dois ‘pormaiores’ – os dois big vidros do alçado principal. Ansiamos a chegada destes para, com a alvorada do novo ano, declararmos oficialmente inaugurada a obra! Entretanto ficam muitas fotos com as últimas novidades em jeito de prendinha do pai natal.

Aos leitores deste blog, votos de bom natal e bom ano. À renovada casa de Arruda, que volte a albergar muitos natais e anos novos daqui para a frente!

ps: sim, a cozinha será vermelha ;-)



The house was not rendered habitable for the festive season. There are still some details to be finnished, none bigger that the large window glasses of the front of the house. We anxiously await their arrival so that, in the dawn of the new year, we declare the house completed! Meanwhile we leave you with several photos with the last advances. See it as a early season gift.

Season Greetings to you all. May the House in Arruda-dos-Vinhos witness many festivities in the future!

Oh, and yes, the kitchen will be bright red! Go figure.

35 comentários:

Anónimo disse...

És um caprichoso homem!

Muita luz neste Natal!

Abraços

Esmeralda

goncas disse...

Que bom aspecto!

Rui Pedro Lérias disse...

Está 'engraçado' - diz o dono. Não se pode dar muita confiança aos arquitectos senão o ego deles rebenta.

É uma obra de artesanato: cheia de pequenas 'imperfeições', resultado de labor intenso e muita dedicação, mas única e linda.

Anónimo disse...

Preciso entender esse linguajar típico de vocês.
“Bom aspecto?” a casa é LINDA!!!! “Engraçado?” está DESLUMBRANTE!!!!!
“pequenas imperfeições?”IMENSAS PERFEIÇOES!!!!!!
Me avisem se a tradução está correta, OK?

Lembranças

Esmeralda

raquel disse...

Está linda!...

Um feliz 2008 para todos os envolvidos na construção da casa!

CresceNet disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Rui Pedro Lérias disse...

O último comentário era publicidade... Teve que ser eliminado.

serafim disse...

L'existance

Ceux qui savent
Devraient apprendre à écouter
Ceux qui ne savent pas.

J'apprends avec mes mains
Ont-elles appris avec mon cerveau?

à quoi serviraient les mots
sans les mains
l'instrument sans la musique

l'ignorance est
l'effet de la résignation

nous ne sommes pas égaux à la naissance.

serafim disse...

SE MIEI UM POUCO DE POESIA EN PAGINAS ANTERIORES

serafim disse...

SE GOSTAM OUTRAS SEMENTES SEGUIRON A TERRA MORRE COM FALTA DE AMOR

Ana Pallito disse...

Aqui temos o fruto da semente plantada com as mãos.

Está é uma casa com história de afeto.

Observada com amor por todos nós.

Seras mais um Serefim.

serafim disse...

foi propriamente isso ana que me deu vontade de dialogo, este domingo húmido a beira da chaminé.

DIALOGO COM O FOGO

Contemplar a dança
Uma musica silenciosa
Passos de esperança
Nesta vida a margosa

Por vezes acelera
Pés vermelhos e quentes
Olhando fico a espera
Nestes dias carentes

O amarelo que se alterna
Pouco a pouco o cinzento
Aguardo a primavera
Fechado por dentro.

Ana Pallito disse...

Bom, a casa minha não é, mas penso que não se incomodem com a tertúlia à luz do lume virtual.

Veja

Crepita já o lenho
traz consigo prenuncio
de pirilampos
ardendo mais ameno.

O vento já não uiva
a janela mais cedo
alevanta na luz
os pés tem sede de ar

A vinha me avisa
enrosca o torvelinho
dança qual moça dengosa
à espera da prima saudosa

Afinal Serafim, já venceste coisas piores.Cuida-te.

serafim disse...

obrigada pelo conselho;
mas tenho a certeza que foi ao ver
todo esse entusiasmo por essa casa em cubo,e na busca de materiais utilizados de maneira diferente,o meu quotidiano é construir casas o mais naturais possível,madeira cal canhamo
e mais,e ao fim do e mesmo durante dia escrever poemas e o que passa pela tola sou um manual e gosto da musica das palavras quando vi que no decorrer da construção havia poesia fiquei muito contente mas nao me quero tornar maçador
.

serafim disse...

MELANCOLIA
Ao sommet des arbes
Je promenais mon regar
Dans un matin lumièr
Lecoeur coupé par des sabres

Je baisse les yeux
Dans un lac de mélancolie
Je prie le dieu
j'adore la folie

j'ecorce à portée de la main
je meserre contre le tronc qu'il est grand mon chagrain
Mes larmes arrosent les racines
coulant tout du long

l'oiseau chante
Une chanson improvisée
L'oiseau invente
puisqu'il me voit déchiré

Dans ma tête cette chanson
Dans ma tête l'éveil
Sur la branche le pinson
Tout le bois s'éveille

Je grimpe à la premier branche
J'oublie que c'est dimanche
Que ça existe le bonheur;

Ana Pallito disse...

Voilà
succès mon ami Serafim:)

serafim disse...

sincera ANA?




Um anjo tentou passar
Por caminhos abertos
Outro anjo viu passar
por caminhos incertos

Rui Pedro Lérias disse...

Boa, boa, deixem só acender o lume que a noite se faz fria!

Ana Pallito disse...

Sincero SERAFIM?

Quem tentou
buscava
Quem viu
percebeu

Rui valeu pela hospitalidade;)

serafim disse...

RUI
Uma casa hospitaleira é bom;
falando de casa jà tentei duas vezes
vos falar de algumas coisas que me parecem importantes mas não passou,
por que eu percebi no vosso é importante a ventilação exterior e subida de humidades por capilarida e
outras coisas desculpem ma vossa casa tem le dado algumas insonias

serafim disse...

continuando não é por mal que vos digo isto mas por experiência pois sena que voces apelicaram no exterior
vai fazer efeito de estufa e claro condensaçao a madeira que foi apelicada nao teme a vicharada pode apodresser rapido como disse pelo telefone ao Francisco vou a portugal
para do21 ao28 deste mes tenho pouco tempo gostaria de ver numa boa claro
para que o vosso projecto aguente muitos anos

Rui Pedro Lérias disse...

Caro Serafim,
Quem sou eu para fechar a porta a bicharada?
Mas que os pretendo desencorajar de comer a casa, pretendo!
Boa viagem e espero teres oportunidade de ver a casa.

serafim disse...

ola ANA é um prazer ler-te


LE BONHEUR

Dessine moi l'amour
Je voudrai copier
Dessine moi les beaux
Pourquoi te méfier?

Un trait,le bonheur
Qu'il est beau le dessin
Un trait droit au cœur
Donne moi ta main

dessine moi un trait
Maintenant tu sais
Ce n'est pas compliqué
Il fallait y penser

Un simple trait
Pour le monde entier

serafim disse...

les beaux jour

Ana Pallito disse...

Est un homme du monde

Par trace légère
Une votre sourire
Que je suis
Seulement heureux

Jour heureux cher

serafim disse...

ola ANA

Estaremos sós?

foi um dia de trabalho a afeiçoar
a madeira e escutar o silencio

NO SILENCIO

Procuro palavras para colocar no branco que me olha sem dizer nada,
a cada instante a mudança existe,
estar pronto a escutar e fazer o transporte para a passagem longa e agradável,
pensativa com desejo de falar,
consigo mesmo,
um dialogo constante que a cada instante permanece e começa a existir,
e o silencio fala,fala,sem parar,
no silencio pode-se ouvir, o vento
que vindo de mais longe te conta
outros diálogos de onde ele passou
lamentos, lágrimas, ribeiros,pássaros,ele conta ,conta
para quem quer ouvir e aprender a escutar o silencio.

Ana Pallito disse...

Olá Serafim

O que seria de mim, sem mim?
º(0
0)º

serafim disse...

OLA ANA

LE SOUVENIR DE L'IGNORANCE

La satisfaction du savoir,
On croit savoir
Mais saï-ton ce que l'on sait?
Il y en a qui ignorent toujours.
A-t-on envie de faire savoir,
Ce qu'il faut savoir pour continuer a exister.


Je voudrai te offrir mon livre

Ana Pallito disse...

Je suis même par imbécile. O(.)O

Serai honoré du cadeau:)

serafim disse...

excuse moi ANA nulle entention
de jugement,comment faire pour le livre? dsaseraphin@wanadoo.FR

Ana Pallito disse...

Serafim

Non mon aimé, n'était pas ceci l'intention, n'a pas jugé que j'a considéré, pense oui que personne ne sait tout. Je n'écris pas en français, je viens jouant avec vous au coût du traduction. Baiser

serafim disse...

ANA plus grand est le me rite


EMBARAÇO


Fugir do instante
Sem saber a razão
O silencio dominante
Continuar a sensação

Continuidade
De uma vida
Oportunidade
Talvez não escolhida

Sempre a caminho
Mesmo no escuro
construir um pergaminho
Sofrer a cada furo

Agarra-se o fio
Para não se perder
Como a agua do rio
No seu decorrer

Sobre o pano de linho
Alguns fios de cores
Uma mancha cor de vinho
Na boca lembranças e sabores


Abrir as portas dum templo já aberto
Ando por esse caminho
Diz-me se é caminho certo

serafim disse...

LA VIE EST UNE GRANDE COMEDI

Ana Pallito disse...

Serafim

Plus grand et le mérite

Maintenant
rire est le meilleur de tout

(*I*)

serafim disse...

Ces fus un bon moment

rir claro nunca se deve perder uma
oportunidade, ANA gostei desta troca
não houve adeptos xau